domingo, setembro 30, 2001

*parido originalmente para o CardosOnline em 16.9.01. O COL acabou antes que a coluna pudesse ser publicada e a coitada foi reciclada como número -1, só pra não sentir-se rejeitada. A número 00 sai no próximo domingo. Ou segunda. Mas sai. Toda a semana vai sair. Que nem antes, só que em versão solitária.

MOMENTO ESTOU PUTINHA

GO ON TAKE EVERYTHING
TAKE EVERYTHING
I WANT YOU TO
GO ON TAKE EVERYTHING
TAKE EVERYTHING
I DARE YOU TO

Ok, agora podemos começar.

*

CLARIVIDÊNCIA

Voltei. Que merda e que bom e que merda. Mas veja só que coisa, caro amigo. Lá estava eu em Londres. E lembrei que meu amigo e tutor Lúcio Ribeiro iria ver um show dos Strokes em NY. Hmm. HMMM. Ver show dos Strokes em NY seria como ver um show dos Beatles em Liverpool - guardadíssimas as proporções. Ficar em Londres pagando hotel até o próximo vôo para o Brasil - que ainda tinha uma taxa porque eu perdi o original - seria mais caro do que ir para NY e ficar encostada em amigos residentes, comendo e dormindo de graça na cidade que mais amo no mundo. Hmm. HMMM. É, eu vou. Tudo certinho. Passagem para NY baratésima - porque consegui libras na última semana. Passagem Londres-SP transferida para NY-SP. Segunda-feira, 10 de setembro, 1PM. Marcado. Na hora de confirmar, tive um momento de clarividência e desisti. Ah, vou pra casa cuidar do meu gato e achar um apartamento decente. Chega de aventura. E vim. Consegui um vôo dia 11, embarquei às 8AM, vi Shrek, chorei porque os ogros casaram e foram felizes para sempre, ajudei o senhor diabético que sentou ao meu lado, vi seis quilos de Mr. Bean e gargalhei sozinha, comi meu veggie meal bom pra caralho, roubei um cobertor da KLM, escrevi um informativo Air Verbuck S/A e cheguei ao Brasil às 5’30 da tarde. E tinham explodido NY. Jesus. Eu dava um rim para estar lá. Caos. Muito caos. Que loucura. Não vou me pronunciar. Só queria dividir.

*

BADGIRLS E O EQUÍVOCO

Meu amigo Ronaldo Brito Rrrrrroque escreveu uma réplica (?) para um texto meu sobre Badgirls. Certo. Pude notar que ele não entendeu nada. Então vamos lá. Pra fazer 100% de sentido, leia meu texto (aqui, aqui!) e a resposta dele (aqui, ei, aqui!). Seria legal ler também o texto que inspirou isso tudo (o meu é praticamente uma tradução com adendos), Bad Like Me, da Courtney Love. Ou não. É que se você ler, certamente vai ficar mais divertido. Eu disse divertido. Isso significa que não é pra ficar levando a sério e achando que é um tutorial, ok? É bom avisar. Sempre tem um mané.

TABLES THEY TURN SOMETIMES ou BAD GIRLS - A HISTÓRIA SEM FIM

As badgirls são as mais fáceis de comer. Verdade. Se ela quiser te dar. Porque se não quiser não há santo que faça acontecer tal milagre. Nem adianta tentar a tática do elogio - badgirls não sabem o que fazer com elogios e coram. Tente xingar que é capaz de funcionar melhor. Quer comer? Finja que não dá a mínima pra ela, ou ainda melhor: discorde dela e prove que seus argumentos são melhores. Badgirls caem de quatro por homens que as fazem calar a boca.

Badgirls são como putas grátis tanto quanto homens são fonte de prazer inesgotável quando não brocham e ficam tristes. Aliás, preste atenção: brochar não é tão ruim assim, especialmente se você souber usar as mãos e a boca. Mas enfim, sexo por sexo é só sexo. Quando não é, muda de departamento e é outro assunto. Se o cara for especial, deixa pra depois. Se não for, é só uma trepada a menos.

Continue prestando atenção: mulher nenhuma quer ouvir “eu te amo” de um cara que visivelmente só quer comê-la. Se você falar isso na noite em que a conheceu, a garota - good ou bad - vai achar que você é um louco sem noção e vai dar no pé. Às vezes as garotas querem apenas uma boa foda. Sabe, estamos no ano 2001 e isso deveria estar claro. Sexo é bom, pessoas de todos os sexos gostam de sexo porque é bom e fazem sexo porque é bom. Então não estou vendo o ponto aqui.

Ok, agora preste mais atenção ainda: diz lá que se a badgirl estiver bêbada o suficiente, você poderá comê-la sem camisinha. Certo. Mas por que alguém possivelmente quereria fazer sexo com uma garota tão facilmente contaminável? A não ser que você seja cheio de doenças. Você é cheio de doenças? Eu acho que não. Então cuida direitinho do membro e não faz besteira senão acaba pegando pereba e tomando um laço da patroa em casa.

Momento revelação: a melhor coisa que existe é comer um nerd punheteiro. Primeiro, porque são nerds e nerds são uma benção neste mundo de homens-machos e peludos. Nerds magrinhos, cheios de costelas e nenhum pêlo no peito, valhamenossassinhora. Estes são os melhores porque não acham que precisam provar nenhuma espécie de vigor sexual insaciável e besta e que enche o nosso saco - das mulheres, todas as mulheres. Homem que tenta provar que é foda normalmente não passa de um anal retentivo inseguro. Bom - e raro - é um cara que não tenta provar nada e simplesmente faz. Como os nerds, que estão tão preocupados em comer alguém que não têm tempo de tentar ser foda. E são. E ainda por cima assistiram toneladas de pornô e aprenderam a fazer coisas surpreendentes.

Algo deve ficar claro: trair é feio. Badgirls não gostam de trair. Se traímos, é por algum motivo pessoal, como insegurança ou mera diversão inconseqüente, não porque é legal. Não é legal. Trair é feio. Repita comigo: trair é feio.

Nós meninas - todas as meninas - estamos cientes de que homens gostam muito de sexo e que suas vidas giram praticamente em torno de comer alguém algum dia. Nós também gostamos de sexo e não precisamos ser convencidas de nada, nem precisamos que alguém nos diga que homens só querem sexo e que todas as bocetas são iguais. Isso não importa. Se for assim, vamos nos divertir, nos vestir e ir pra casa - ou fazer o sujeito se vestir e se mandar. Nada é tão complicado assim nem necessita de autopropaganda. De qualquer forma, autopropaganda só pode ser feita quando você tem alguma coisa pra mostrar, senão não funciona. E acredite, negrinho: quando funciona, funciona. Especialmente se não for autopropaganda enganosa.

Badgirls são garotas. Goodgirls são garotas. E garotas, quando não estão no "girls just wanna have fun" mood, precisam muito de uma coisa: carinho. Mulher precisa de carinho, seja ela defensiva, boazinha, malvadinha, pretensiosa, burra ou genial. Mulher precisa de carinho. Homem também. E é por isso que as pessoas namoram e casam e moram juntas e brigam e choram e se abraçam e voltam. Sexo a gente encontra por aí.

E o resto é bobagem.

*

BRAZILEIRA!PRETA INFORMA

Gostaria de estar informando que a partir de hoje você pode estar acessando meu querido weblog GUEI para machos. Não gostaria de deixar a rapeize orfã e resolvi estar criando esta nova e divertida forma de deixar meus leitores atualizados sobre o que ocorre. Você vai estar encontrando a URL para o citado weblog no final desta coluna, porque agora sou uma pessoa organizada que possui links, negritos, itálicos e demais frescurinhas que ainda não estou fazendo idéia de como usar.

Não estou realmente pronta para trabalhar com telemarketing? Porque jornalismo não tá rolando.

*
MY GIRL ou MOMENTO SENSIBILIDADE

Minha melhor amiga e noiva me abandonou. Ela foi estudar psicologia lá longe em Reading e ser fodona. Ela já é fodona. A garota mais inteligente que conheço e minha soul sister e mal-humorada que nem eu. Ainda não temos tatuagens iguais, mas faremos. E temos um filho, que tem two mommies que nem o Ben. E nós vamos casar. Casar no papel. Sabe, vou ser Clarah Averbuck Svensson. Não é legal? Sim, é legal. Mas não é legal ela ir embora pra sempre. Bem, ano que vem tenho onde ficar em Reading. Até lá vou morrer de saudades dela. Ah, que dorzinha. Eu te Anne, amo. But sometimes you just have to walkaway. Aliás,

Oh no
Here comes that sun again
That means another day
Without you my friend

And it hurts me
To look into the mirror at myself
And it hurts even more to have to be with somebody else

And it’s so hard to do
And so easy to say
But sometimes
Sometimes you just have to walk away
Walk away

With so many people
To love in my life
Why do I worry about one

But you put the happy
In my ness
You put the goodtimes
Into my fun

And it’s so hard to do
And so easy to say
But sometimes
Sometimes you just have to walk away
Walk away
And head for the door

We’ve tried the goodbye
So many days
We walk in the same direction
So we could never stray
They say if you love somebody
Than you have got to set them free
But I would rather be locked to you
Than live in this pain and misery

They say time will
Make all this go away
But it’s time that has taken my tomorrows
And turned them into yesterdays
And once again that rising sun
Is dropping on down
And once again
You my friend
Are nowhere to be found

And it’s so hard to do
And so easy to say
But sometimes
Sometimes you just have to walk away
Walk away
And head for the door
You just walk away
Walk away

- Ben Harper (que é um chato, mas mandou bem)

*

LINK DA SEMANA

www.naguerra.net

Piadas internas, polícia estética e sacadas geniais que só podiam sair do cerrado. Ah, Brasília.

*

TRILHA

Hole - Live Through This

Que eu amava a Courtney eu já sabia. Mas não sabia que amava tanto Hole assim. Que maravilha. Quem falar mal dela na minha frente toma um couro. Estou cada dia mais convencida que sou a Courtney Love, preciso voltar pro psiquiatra ligeiro. Até loira eu sou agora. Loira, eu disse. Adeus, madeixas cor-de-rosa.

Chet Baker - It Could Happen To You

Ah, esse homem. Ah, esse disco. Uma pérola, começando pela capa, Chet e uma dama sentadinhos em uma sofá vermelho e uma lua amarela acima deles. Foda. Daí tem “Do it the hard way”, “I’m old fashioned”, “You’re driving me crazy” e “It could happen to you”, exatamente nesta ordem. Fora “My heart stood still”, “The more I see you”, “Everything happens to me”, “Dancing on the ceiling”, “How long has this been going on?” e “Old devil moon”, também exatamente nesta ordem. Ah, e ainda tem duas faixas bônus: “While my lady sleeps” e “You make me feel so young”. Mencionei que é o primeiro álbum em que Chet canta? Pois é. Ah, como canta. Puta disco. 1958. Céus, sou uma criança.

The Strokes - Is This It

...

Puta que pariu. É só comigo ou cada vez que o disco é tocado, melhora?

The Kinks - The Singles Collection

Como é bom, damnit. Ouvi pra caralho na Inglaterra. Quer lugar melhor para ouvir Kinks do que Londres? Não tem. Acabei ficando obcecada pela seguinte música da série "letras não-traduzidas -- vire-se, amigão":

YOU STILL WANT ME

When you passed me by
You didn’t look my way
But one thing I know
Our love is here to stay

And you still want me
And you still want me

You wanted the sky
But I couldn’t reach so high
I gave you my love
But you found some other guy

And you still want me
And you still want me
I know because the smile that’s on your lips
It’s for me
They were meant for me to kiss
And you were meant to love me darling

I’ll be around
When other guys have gone
I’ll tell you once more
How I still love you so

And you still want me
And you still want me
And you still want me

*

ENTÃO TÁ

Acabou. Foi trimmmassa. Não volta mais. Vocês sabem onde me achar.

[ Dexedrina ] - Averbuck Online - Apenas uma coletânea
[ London Burning ] - Coluna mais ou menos semanal na London Burning
[ brazileira!preta ] - Querido weblog GUEI de macho
[ Jazzie and the Pussycats ] - Jazz lo-fi para as massas
[ Dirty Hippies ] - Música para abraçadores de árvores