segunda-feira, outubro 29, 2001

Todo o domingo, é?

Eu sei, eu sei que eu disse que a coluna seria semanal. Mas estou sem telefone em casa e mal conseguia checar meu email antes de começar a trabalhar. Reclamações com a Telefonica, que fica me engambelando. De qualquer maneira, ninguém paga por isso, certo? Ah, se você quiser saber quando a coluna entra no ar, me mande um email com o assunto “Eu! Eu quero!” para receber um informativo bem bonito e colorido avisando. Você pode também cobrar periodicidade, avisar que não quer saber de nada disso, discordar do que eu digo e me oferecer dinheiro ou móveis. É só clicar aqui.

Peraí: trabalhar?

Isso, trabalho. Se é que ouvir música bem alto e ter speedy o dia inteiro pode ser chamado de trabalho. Pois é, eu agora sou uma mistura de Clerks com Alta Fidelidade e Chistiane F.: trabalho na Bizarre, loja ultra cool de cds na galeria Presidente alguma coisa, na 24 de maio, 116, loja 13. E não, meu chefe não me deu um single pela propaganda: eu acho mesmo que todos devem me visitar e comprar discos lá para aumentar minha comissão. Sejam legais. Vale a pena.

Se eu tou gostando? Oh yeah. Mais do que eu poderia imaginar, nem reclamo de fazer o trajeto Vila Madalena-Paraíso-Sé-República de manhã. Mas bem que a minha cadeira podia ser mais confortável.

*

My house is falling to pieces

Você viu aquele filme “Um dia a casa cai”? Sim, você viu. Todo mundo viu. Você só não lembra. É aquele em que o Tom Hanks e sua senhora são um jovem casal que muda-se para uma casa estilo sonho americano e a casa vai desabando aos poucos. Tenho certeza que você lembra da cena da banheira indo parar no primeiro andar da casa.

Pois é. Isto está acontecendo comigo. Eu e o Fábio não somos um casal, muito menos um jovem casal, mas nossa casa era quase um sonho. Quando li o anúncio, já sabia que moraria lá. E quando vi o apartamento, não tive dúvidas. Começando pelo fato de que fica na Rua Purpurina. Na esquina com a Harmonia. Meio hippie, mas eu prefiro pensar que é glam. Nossos vizinhos são uma banda de gospel e um tal de Esfiha Pizza Bar, o que quer que isso signifique. O prédio só tem dois andares e dois apartamentos, o banheiro é rosa e a cozinha é salmão. Tem duas salas e os quartos são grandes. Muito legal mesmo. A pintura estava descascando um pouco, mas como eu e o Fábio somos adolescentes roqueiros e sabíamos que as paredes acabariam pintadas de vermelho, pichadas e cobertas de pôsteres (o word que me corrigiu nessa. Ora, pôsteres. Mas ok), não demos muita bola para isso.

Até que na semana passada choveu. Choveu muito. O céu caiu sobre as nossas cabeças. Mas estávamos protegidos no nosso apartamento encantado ouvindo boa música e nem demos bola. Até que eu decidi trocar o cd e percebi uma infiltração exatamente em cima da minha coleção de discos. Mas não era uma goteirinha inofensiva, era uma fila de sete gotinhas saindo de uma rachadura antes imperceptível no teto, e todas as sete gotinhas, quando caíam exatamente em cima de algum dos meus cds queridos, dava lugar a uma nova gotinha. Lindo de ser ver, poético até. Mas era em cima dos meus cds. Obviamente tive um chilique e depois de secar e proteger meus cdzinhos amados daquelas malditas gotinhas fofas com uma sacola da C&A, fui com um pedaço de madeira na mão até a imobiliária e eles prometeram tomar providências. Sei. Tudo bem, já tinha parado de chover mesmo, apesar de ter estragado alguns encartes. Grrrrrrrrrjkdshf.

Aí então eu descobri um buraco na parede do meu quarto. Provavelmente tinha um ar condicionado ali, mas só dá pra ver pelo lado de fora porque eles camuflaram bem direitinho por dentro. Bom, chove ali também. O buraco fica visível algumas horas depois da chuva. E escorre pela parede, bem em cima do meu colchão ortopédico. Reclamei de novo, dessa vez com um bastão de baseball, e eles disseram que iam arrumar. Ok.

Então esses dias eu acordei e fui tomar um banho para ativar meus oito neurônios, aquela coisa básica que todas as pessoas limpas fazem, e comecei a perceber que a água não estava escoando direitinho. Na verdade, ela não estava escoando at all. Eu estava ensaboada, com shampoo no cabelo, não tinha como parar tudo para tentar desentupir o ralo. Pensei que se talvez eu fingisse não estava percebendo, a água resolvesse parar com aquela palhaçada e fosse embora, mas isso não aconteceu. O banheiro foi inundado em segundos, enquanto eu tentava tirar o shampoo ligeiro. Inundado. Litros de água com espuma espalharam-se pelo banheiro rosa e pelo corredor. Pelo carpete do corredor. Muita água. E eu saí pelada e desesperada para buscar o rodo na área de serviço enquanto os pedreiros da obra ali atrás lançavam olhares curiosos. Realmente, uma garota nua e molhada com um rodo e panos nas mãos às nove da manhã deve ser uma imagem um tanto quanto interessante. Consegui secar o banheiro, mas perdi o filme que deveria ver com um amigo às 10’30, até porque fui no cinema errado.

Por enquanto foi só. Espero sinceramente que continue assim.

*

TESTE: VOCÊ É BURRA?

1. Ao tentar colocar aquela calça que você a-do-ra, se dá conta que seus culotes não permitem que ela passe acima dos quadris. Você:

a. Decide fazer um regime e sai para comprar cenouras.
b. Chora e compra oito barras de chocolate sensação.
c. Decide fazer um regime, mas quando passa pela padaria e vê uma barra de alpino, compra e come compulsivamente para depois enfiar o dedo na goela e brincar de Karen Carpenter.
d. Pára de comer.
e. Desencana e compra uma calça nova.


2. Você está há anos afim de um garoto. Ele nunca deu a menor bola para você, mas na última festa ele deu muito mole, vocês conversaram, trocaram email, telefone e um beijinho de despedida. Ele não liga no domingo, nem na segunda, nem na terça. Qual o seu estado na quarta?

a. Não tem mais esmalte nem unhas, as bochechas estão destruídas por dentro e você está com azia.
b. Dá cotovelaços na sua irmã cada vez que toca o telefone para tentar atender primeiro.
c. Decide ligar e convidá-lo para ir ao cinema.
d. Deitada em seu quarto, abraçada em uma garrafa de vódega com o telefone dele nas mãos.
e. Nem lembra do episódio e já pegou mais uns três GATOS.


3. Você descobre que uma amiga sua fica com seu namorado há três meses. O que você faz?

a. Bate com um rodo na amiga e fica com o namorado – que espécie de amiga é essa que seduz seu pobre macho inocente?
b. Bate com uma pá no namorado e fica com a amiga – homens vêm e vão, mas amigas são para sempre.
c. Bate com a pá e o rodo nos dois, chora, grita, dá vexame e manda eles ficarem juntos no inferno.
d. Finge que não sabe de nada e coloca cianureto na bebida dos dois.
e. Diz que eles deviam ter contado antes e acha legal que eles fiquem juntos.


4. Você decide que é NAQUELA noite que vai ficar com o cara. Passa duas horas no banho, perfume em lugares estretégicos, estréia o click-up e o batom vermelho. O que é mais possível de acontecer?

a. Você fica com o cara e tem uma noite foda, exatamente como planejado.
b. Você fica com o cara, bebe demais, passa mal e vomita no pé dele.
c. Você fica com o cara e com mais três amigos dele por causa da vódega.
d. Você fica com o cara mas não lembra e acorda no Hotel Bali.
e. Você não fica com o cara e volta pra casa derrotada.


5. Você se apaixona pela internet?

a. Internet é coisa de nerd. Todos lá são feios, gordinhos, espinhentos e jogam Super Nes.
b. Não acredito em nada que me dizem lá, o loiro alto pode ser um pedófilo suador crônico. As pessoas mentem. Só uso para ler jornal e checar emails de trabalho.
c. Já conheci pessoas interessantes, mas nunca me apaixonei.
d. Sim, todos os dias no IRC, em listas de discussão, por textos em e-zines e pelo ICQ. Já fui para todos os estados do Brasil atrás de homem e só quebro a cara.
e. Acho que estou apaixonada por você.


6. Você está satisfeita com seu corpo?

a. Não, estou gorda, flácida e cheia de celulite.
b. Não, sou magra demais e não tenho peito.
c. Não, estou gorda e não tenho peito. Sou uma pêra.
d. Não, tenho estrias enormes e toda a certeza que de todos as vêem a doze quilômetros de distância.
e. Estou um pouco acima do peso mas pretendo acabar com isso fazendo aulas de Lambaeróbica Universitária intercaladas com musculação vegetativa.


7. Você conhece um cara interessantésimo. Um amigo avisa que ele é um pouco tímido, mas está interessado também. O que você faz?

a. Pega o telefone do cara e o convida para assistir “The Bitch is Back – sem cortes” na sua casa. Só vocês.
b. Dá um jeito de encontrar com ele em uma festa e puxa assunto.
c. Nada. Ele é interessante demais e você vai acabar se envolvendo e se machucando porque homem não presta. Nenhum homem no mundo inteiro presta. São todos uns cachorros safados e sem coração.
d. Fala para o seu amigo falar pra ele que você falou que ele podia ligar para você se quisesse.
e. Convida ele e um amigo para tomar uma cerveja, toma nove, fica bêbada e agarra o amigo depois de horas de conversa e tortura sem saber qual é a do cara afinal de contas. E depois descobre que ele estava afim de você e que o amigo tem herpes.


8. Seu chefe é gato pra caralho e sempre dá umas olhadas interessadas para você. Ele é casado a sua mulher é grande. Um dia ele te convida para tomar um café. Qual a sua reação?

a. Arregala os olhos e murmura “Não, não, não, não tomo café, faz mal para a pele”, vira para o computador e começa a digitar freneticamente coisas sem sentido algum.
b. Aceita mas deixa claro que não pega homem casado.
c. Pergunta se a mulher dele vai junto.
d. Vai e bota a mão na perna dele na primeira oportunidade.
e. Diz que vai ao banheiro e foge pela janela.


9. Você compete com suas amigas?

a. Depende da amiga.
b. Sim, muito. E também com minhas inimigas, vizinhas, primas, a caixa da padaria, a filha da empregada e a enfermeira da minha avó.
c. Não, competição é uma coisa estúpida e cada um deveria se importar com seu próprio nariz.
d. Só com as mais bonitas.
e. Só com as mais inteligentes.


10. Você se acha gorda?

a. Sim.
b. Yeah.



11. Você é mulher?

a. Sim.
b. Não, mas gostaria de ser.


Resultado:
Você é mulher. Mulher é burra pra caralho e faz testes idiotas, acredita em oráculo, revistas femininas, dieta do pepino, psicólogo e homem. Mulher é burra pra caralho sentimentalmente falando. Não importa o que você respondeu, você é burra. Pra caralho. Eu também. Todas somos. É melhor abrir os olhos para a verdade e assumir antes que outros façam isso por você.

Este teste é um oferecimento Vódega Balalaika e brazileira!preta Instituto de Pesquisas Femininas. E é uma piada séria.

*

Trilha

A-one two three four!

Você já ouviu “End of the century”, dos Ramones? Eu ainda não tinha ouvido e não fazia idéia de que o mestre Phil Spector tinha produzido um cd dos rapazes. Mas produziu, em 81. Quer dizer, ele não produziu o disco inteiro, porque segundo sei, rolaram algumas desavenças. Parece que a banda não gostou dos “arranjos de cordas” que o mestre pariu. Ora, o que eles esperavam do Phil Spector? Dá pra saber direitinho quais foram as músicas produzidas por ele, só pelos arranjos e pelo timbre da bateria, que soa como aqueles girl groups que me fazem chamar o cara de mestre. Especialmente Baby I Love You, escrita pelo próprio e gravada originalmente pelas Ronnetes. Vão ouvir, todos vocês. Já.


Momento heresia

Não, não é o nome de uma banda de déti metal. É que toda vez que eu falo isso, alguém quer me bater muito. Mas eu acho, fazer o quê? Feita a defesa, eu digo que acho o jeito e a voz do John McCrea, vocalista e dono da bola, digo, do bolo, digo, do Cake, parecidíssimas os líder sensível e fanho do Modern Lovers, Jonathan Richman. Acho, cara. Sério. Vai ouvir Friend Is A Four Letter Word do Cake e na seqüência, Hospital, do Modern Lovers. (Aproveite e ouça I´m Straight, uma das minhas favoritas, e tente não rir cada vez que ouvir o moço dizendo “hippie Johnny”.)

As duas bandas têm pouco em comum, mas a voz e o jeito que eles cantam é muito parecido. Algo entre tédio e constipação. Ei, eu gosto muito das duas, que fique bem claro. Inclusive o novo disco do Cake é matador. Não o selo, você entendeu. Confort Eagle, a música título, é fodaça, guitarras distorcidas, coisa nunca vista antes no Cake. Nem se fala em Love You Madly e Short Skirt/Long Jacket (primeiro single do disco), igualmente fodaças. E veja você, tem até uma instrumental, Arco Arena. Muito bom, muito bom.

Alguém aí...

Ainda não ouviu Strokes? Pff, que prego. Eu comecei em fevereiro e nunca mais parei.

DJÊNIO! DJÊNIO! DJÊNIO!

Imagine um cara que é escritor, roteirista, diretor de cinema, artista plástico, ator, modelo, compositor, cantor e produtor? Picareta, certo? Alguma coisa ele faz matada, correto? Ninguém nasce com tantos talentos, confere? Não, não confere. Não quando o cara em questão é o Vincent Gallo. Além de escrever, dirigir e compor a trilha de seu filme Buffalo 66, de 97, o sujeito teve a audácia de lançar um disco genial que chegou na loja ontem (quando imediatamente me abracei no cd e não larguei até agora), When, que saiu pela... Warp Records. Precisa falar mais? Precisa, porque não tem nada a ver com o que eles lançaram até agora. Aiai. Suspiros. Ah é, o cd. Desculpe, estou emocionada. Digamos que o Chet Baker renasceu tocando violão e baixo fretless (mencionei que ele toca todos os instrumentos em When?), não usa drogas e anda com o John Frusciante. Mais ou menos isso, porque o cara é absolutamente indescritível. Eu sei que ele parece um escroto arrogante (e é, de fato. Como fala merda), mas tem gente que pode.

*

Repetindo: de segunda a sexta (às vezes nos sábados também), das 10 às 7, estarei na Bizarre. Visitas serão aceitas.